#Dica 05.1 Rastreando Mercadorias de Várias Lojas

Há algum tempo demonstrei como rastrear mercadoria em alguns sites usando o portal SSW. [link SSW]
Já acompanhei compras das lojas:
Submarino, Americanas, Shoptime, Ponto Frio, Casas Bahia, Extra, Netshoes, Dafiti, Livraria Cultura e por ai vai. (Na internet parece ser mais barato hehe)

Percebi que algumas compras vinham por outra transportadora e bom. Temos outro caminho para rastrear. [link DirectLog]

Basta acessar o link acima, escolher a opção CPF/CNPJ digitar o CPF do recebedor e partir pro abraço. Como no caso anterior ele mostra, onde está a mercadoria, o remetente e o número do pedido.
Esse outro rastreamento funciona tanto com o Submarino bem como a Amazon Br.


Qualquer dúvida só pedir ;) e claro Boas Compras!


Meias verdades


Desde o advento das redes sociais e sua massificação, vemos postagens acusando esta ou aquela ideologia. Saudosistas da ditadura, acusadores de corrupção, ativistas dos direitos animais, conspirólogos da vacina e de refrigerantes cancerígenos. Normalmente tais compartilhamentos trazem algum respaldo político ou científico. Devemos ter cuidado ao passar adiante tais ˜informações˜. As fontes devem ser verificadas e verificáveis. 
Um argumento subtraído de uma lei, uma vírgula alterada do que um cientista renomado falou podem ser nocivos. A língua portuguesa é rica em mecanismos para alterar o sentido de determinada sentença. Há um exemplo clássico que remonta à mitologia grega.  

Em certa passagem em uma visita no oráculo de Delfos, uma sacerdotisa diz:

"Vá a guerra. Irá vencer? Não morrerá”

Tendo seu desejo confirmado o solicitante vai a guerra e morre. Quando questionada sobre a “falsa" profecia a sacerdotisa repete o que disse:

“Vá a guerra. Irá vencer? Não, morrerá”

Uma vírgula mudou o destino de um povoado. 

Agora trazendo para nossa situação. Muitos dos conteúdos compartilhados são manipulados para se adequar a um ou outro pensamento. Se tornam meias verdades. 
Meias verdades são perigosas. No exemplo mitológico uma pessoa falou para uma outra pessoa e a tragédia aconteceu. Agora imagine a falsa ideia sendo passada a frente, imagine pessoas que não vão atrás da fonte tomando isso como verdade, imagine o que pessoas podem fazer em nome de uma verdade. A situação pode ser crítica e ainda pior, associe meias verdades e seu caráter nocivo será maior do que uma mentira. Podemos exemplificar matematicamente.

Assumindo que 1 equivale a uma verdade, 0,5 a meia verdade e 0 para uma inexistência da verdade.

Vamos associar duas meias verdades:

0,5 x 0,5 = 0,25

Agora três:

0,5 x 0,5 x 0,5 = 0,125

Nessa matemática tendenciosa, para cada meia verdade associada nos aproximamos de 0 e ficamos mais distantes do ideal.

Então quando ver uma imagem onde uma lei beneficia o presidiário, onde o animal é maltratado pela pesquisa científica ou onde uma vacina mata todos os idosos, pare. Procure as fontes, procure os argumentos, procure saber se é verídico, procure entender os motivos, causas e situações que levam a aquela afirmação ou situação. Argumente sobre o tema e se estiver disposto, discuta (sem faltar com o respeito). Como dito num antigo seriado mexicano com baixo orçamento, dá discussão nasce a luz.
Faça isso antes de passar para frente e montar uma corrente onde a assuntos polêmicos e tendenciosos são propagados sem algum filtro ou critério. 

Agradeço aos meus amigos, Leandro, Bruno e Ânella cuja discussão levou a esse artigo.

Obs: Podem continuar compartilhando fotos de animais e bebês.

Dica #07 - Pensar

"Há sempre uma melhor maneira de se fazer algo"        

      Pensar fora da caixa é uma atitude rotineiramente aconselhada por este ou aquele especialista, seja em inovação ou em resolução de problemas. Talvez a situação estivesse melhor se seguíssemos somente uma parcela desse conselho, pensar. Pensar antes e depois de agir, pensar antes e depois de pensar.

      Chega a ser sufocante os inúmeros atos que presenciamos quando há a preguiça de pensar. O sedentarismo deixou a humanidade relapsa e acomodada. E quando esse aumenta a preguiça vem a tiracolo. Não devemos confundir com aquela preguiça boa de domingo, nem com a aquela de arrumar a cama, vamos nos focar na preguiça de pensar.

      Enquanto passei pela adolescência ouvi dois bordões do meu pai que me marcaram, o “Há sempre uma melhor maneira de se fazer algo” e o recorrente “Raciocina Daniel”.  O primeiro era alguma citação que ele fazia e que nunca encontrei o autor.  O segundo surgia após eu fazer algo que ele pedira, de maneira incompleta. Os dois se fundamentam no ato de não pensar (deixar de fazer é fazer?).

      O fato é,  temos preguiça de pensar. Seja no que é melhor para comer, no que acontece se eu fizer ou deixar de fazer isso, numa maneira otimizada de realizar determinada tarefa, em qual aspecto posso melhorar ou em qual momento devemos dizer um não.


      Invista cinco minutos, ou até menos, refletindo sobre seu próximo ou sobre as conseqüências do seu último passo. Não tenha preguiça de pensar. A relação custo/benefício é bem interessante. Feito isso, pense fora da caixa.

Poderia escrever mais, porém a preguiça está batendo.

Deixo como recomendação o  Café Brasil , o conteúdo é bem bacana.